HPV e Fimose/Balanopostite/Circuncisão

HPV e Fimose/Balanopostite/Circuncisão



Balanopostite

A balanopostite consiste na inflamação do excesso de pele peniana. JACYNTHO et al. (1989) relataram que a monilíase foi a infecção mais freqüente em seu estudo com 70 homens.

WIKSTRÖM et al.(1994) relataram índices de positividade para HPV, em pacientes com e sem balanite, de 56% e 26%, respectivamente. HIPPELÄINEN et al. (1991) encontraram incidência de pacientes HPV-positivos com balanite de 32,6%; COSTA et al. (1992), de 21%; AYNAUD et al. (1994), de 43,7%; STRAND et al. (1993), de 29,2%; MANDAL et al. (1991), de 20%; e VODOPYANOV et al. (1998), de 30%. Os dois últimos trabalhos foram realizados em clínica urológica.

BIRLEY et al. (1994) apresentaram cinco pacientes com balanopostite em quatro dos quais (80%) foi evidenciada presença de DNA do HPV (que era do tipo 6).

Em 1995, WIKSTRÖM publicou outro trabalho em que descreveu a associação entre balanopostite e HPV como uma nova entidade clínica.

HPV e Fimose

A fimose consiste no excesso de pele peniana com estreitamento desta pele dificultando a exteriorização da glande.

A presença de prepúcio proporciona condições de calor e umidade ideais para a proliferação do HPV.

ORIEL constatou que 79% dos homens com verrugas genitais eram não circuncisados e apresentavam lesões mais exuberantes.

CHUANG relatou que, em 71 homens cujas lesões eram na porção distal do pênis, 32% eram não circuncidados.

MAYMON estudou homens circuncisados parceiros de mulheres infectadas por HPV e observaram incidência menor que a descrita em outros trabalhos, sugerindo que a fimose poderia ser um fator predisponente para HPV.

AYNAUD estudou 210 homens e não encontraram diferença significativa na freqüência da infecção pelo HPV em homens circuncisados e não circuncisados (42% e 58%, respectivamente); avaliaram, contudo, apenas o local da lesão. Encontraram, por outro lado, diferença significativa na freqüência de uretrite entre os pacientes circuncisados (19%) e os não circuncisados (34,5%).

Nos quadros abaixo podemos observar que a cirurgia de fimose (postectomia) previne a infecção pelo HPV.

postectomia postectomia2