HPV e Laser em Plástica

HPV e Laser em Plástica

Lasers para Tratamento de Lesões Tumorais da Pele

Lesões Malignas

  • Carcinoma Baso Celular

Pode ser observado sob dois aspectos:

‒      Plano grande não invasivo: vaporizado com o LASER CO2, principalmente no segmento cefálico em pacientes de idade avançada.

‒      Invasivo, em especial aqueles de localização próxima aos olhos e regiões anatômicas de dificil correção pelos procedimentos plásticos clássicos ou que certamente redundariam em seqüelas: terapia foto dinâmica (TFD), com a vantagem da ausência de seqüelas cicatriciais, às vezes inevitáveis em lesões próximas aos olhos, nariz e boca. Tem como desvantagem do preço.

  • Carcinoma Espinocelular

Se o tumor é exuberante e muito espesso, ressecá-lo em altura para em seguida fazer a TFD.

  • Melanoma

Caso não haja metástases – TFD. Vantagem: mobilização mínima da lesão, (necessidade de Trabalho Científico).

  • TFD – Terapia Fotodinâmica

Terapêutica a LASER de diodo, LIP, LED ou UV para lesões tumorais teòricamente de qualquer origem e localização. O fotóforo é o ALA ou uma hematoporfirina, que pode ser administrada por  endovenosa ou tópica  que uma vez submetida à luz de comprimento de onda específico, libera energia suficiente para a excitação das moléculas de O2 para os estados singleto e tripleto. A volta do O2 ao estado estacionário libera grande quantidade de radicais livres causando a morte das células tumorais. Trata-se de importante ferramenta para o tratamento de lesões pré-cancerosas e cancerosas, pois pode determinar a eliminação total de tais lesões, evitando cicatrizes e sequelas desgraciosas, como também funcionar como adjuvante prévio ou pós de outros tipos de tratamentos sejam cirúrgicos ou medicamentosos.

A técnica já está consagrada em países como Japão, Canadá, EUA, Itália Rússia, e outros. No Brasil está em fase de crescimento e deveria ser melhor aproveitada por grandes Centros Médico-Universitários. O maior entrave para a popularização do método é o preço, tanto do produto que funciona como fotóforo, como dos aparelhos para sua foto-estimulação.

Lesões Benignas

Nas lesões verrucosas (exuberantes ou planas), nevus (gigante ou plano), lipomas e neurofibromas podem ser utilizados o laser de CO2. É providencial a realização de biópsias antes do procedimento, e a grande vantagem é o aspecto cosmético da cicatriz.

  • Lasers para tratamento de lesões pigmentadas da pele e eplilação

Qualquer tipo de lesões pigmentadas pode ser tratado pelos LASERS desde que o comprimento de onda seja compatível.

Neste parágrafo incluiremos os aparelhos com grande absorção pela melanina que, por conseguinte terão como fotóforos também pigmentos exógenos (tatuagens e maquiagens definitivas).

São os Lasers variando seu “lambda” entre 800 nm a 1200 nm, como o ND-YAG, o RUBI, o ALEXANDRITE, o DIODO, Q – Switched ou não e as LIPs, todos com comprimento de onda na faixa determinada acima, que tem capacidade de atenuar melasmas, queratoses, melanoses, poiquilodermas, manchas hemosiderínicas, “cafe au lait” e pigmentação exógena das mais variadas origens.

Os Lasers descritos nesta sessão  tem como fotóforo o pigmento melânico, podendo também ser utilizados para epilação, uma vez que o fenômeno responsável pela destruição do folículo piloso é a absorção da radiação eletromagnética pelo pigmento existente no bulbo piloso.

A Epilação a LASER é um procedimento extremamente útil para o cirurgião plástico, pois além de ser usada com caráter puramente estético, também pode auxiliar nos casos de foliculites, doença cística do pelo e hidroadenite.

Pode-se utilizar estas máquinas também para o chamado “resurfacing”, não ablativo tratamento em longo prazo para rejuvenescimento facial, com  sessões mensais e  duração média de um ano.

  • Lasers para tratamento de lesões vasculares

Os hemangiomas, “Port-Wine stain” e lesões vasculares em geral, podem ser tratados ou preparados para tratamento cirúrgico com o uso de Lasers que trabalham entre 500 nm e 700 nm. Hemangiomas podem ser  diminuidos para depois serem submetidos à cirurgia ou tratados simultâneamente pelos Lasers associados a outros procedimentos. Os resultados são bastante significativos, com apagamento de 70% a 100% das lesões.

As máquinas mais importantes para tratamento de lesões vasculares são os Lasers de Corante Dopado, o Diodo, o ND-YAG no seu primeiro harmônico e as LIPs.

Importante ressaltar que quando se decide pelo tratamento a LASER, principalmente em lesões faciais, sempre são necessárias várias sessões mensais que podem levar alguns anos, particularmente quando se trata de hemangiomas.

  • Laser para Blefaroplastia

Trata-se de uma grande contribuição, pois o laser de CO2 é extremamente útil na fotocoagulação dos vasos sanguíneos e linfáticos. Também é utilizado na via de acesso transconjuntival, facilitando a retirada das bolsas de gordura sem cicatrizes externas.

  • Lipoaspiração à Laser

O laser de ND: Yag é eficiente na destruição das células gordurosas. Sua irradiação ocasiona o rompimento da membrana celular dos adipócitos, sem alterar as demais céluas do organismo. Nos casos menos extensos, somente o uso do laser é suficiente para diminuir o volume de gordura. Nos casos mais extensos, é necessário complementar com lipoaspiração, que é realizada com cânulas mais finas e menos traumáticas.

Luiza Zonzini Máximo de Carvalho

Cirurgiã Plástica

Fone: (11) 3832-0505

E mail luizazonzini@dr.com

Matheus Monseff Vieira Borela

Cirurgia Plástica

Fone: (11) 3832-0505

matheusplastica@dr.com